Minicursos

01 - Jogo, mediação e inclusão da criança com autismo na brinquedoteca

Prof. Dr. José Francisco Chicon (UFES)
Prof.ª Dr.ª Maria das Graças Carvalho Silva de Sá (UFES)

Local: Miniauditório do CEFD

Vagas: 30

Discute o papel mediador do professor na experiência de brincar da criança com autismo na brinquedoteca, bem como, a organização de ambientes de aprendizagem na aula que potencializem a interação entre crianças com e sem autismo. Possibilita a experiência de brincar dos cursistas no espaço da brinquedoteca.

02 - Políticas de Inclusão e trajetória escolar do público-alvo da Educação Especial: Da educação básica ao ensino superior

Prof. Dr. Edson Pantaleão Alves (UFES)
Prof. Júnio Hora Conceição
Prof. Ronan Salomão Gaspar

Local: Sala 27 do PPGE

Vagas: 40

Trabalhar as políticas de inclusão para a educação especial implementadas no Brasil a partir da LDBEN 9394/96, suas implicações para as políticas locais (estaduais e municipais), as possibilidades, dilemas e desafios para a garantia do direito à escolarização. Pela via da análise da trajetória de matrículas do público-alvo da Educação Especial, discutiremos o percurso escolar desse público na Educação Básica e no Ensino Superior.

03 - Desenvolvimento humano e práticas educativas na escola regular: estudos sobre o aluno com autismo

Prof.ª Dr.ª Ivone Martins de Oliveira (Gesa/UFES)

Local: Sala 27 do PPGE

Vagas: 60

O desenvolvimento cultural da pessoa com autismo. O ambiente escolar e as relações sociais. A organização do trabalho na escola e as práticas educativas que favorecem avanços na aprendizagem e desenvolvimento do aluno. A atuação do professor em relação ao estudante com autismo.

04 - Cinema, Educação & Inclusão: Possíveis Caminhos Para Pesquisar a Educação Especial & Inclusiva Presente na Linguagem Cinematográfica

Prof. Dr. Hiran Pinel (UFES)

Local: CEFD

Vagas: 50

O amor pelo cinema e sua linguagem. A linguagem do cinema em vários dispositivos, como o vídeo, que podemos produzir e inventar. História do cinema e da sua linguagem. Cinema como dispositivo educacional e ideológico – críticas e possibilidades. Cinema, Educação Especial & Inclusão: as deficiências, os TGD’s, as altas habilidades e outros diagnósticos. Diversos métodos de pesquisa e sua aplicação na pesquisa do cinema que aborda, direta e ou indiretamente, a Educação Especial Escolar e Não-Escolar. O método fenomenológico. Mostras de filmes. Como “eu pesquiso”. Bibliografias. Lista de filmes.

05 - Pesquisas em Libras e Educação de Surdos: questões atuais

Prof. Ms. Jefferson Bruno Moreira Santana (GES/UFES)
Prof.ª Dr.ª Keila Cardoso Teixeira (GES/UFES)

Local: Auditório do IC2

Vagas: 40

Caminhos e possibilidades de construção de políticas linguísticas e educacionais, para desenvolver ações que promovam a divulgação da Libras e a consolidação da discussão sobre inclusão dos surdos no meio acadêmico e na comunidade em geral, a Libras e a formação dos profissionais ligados a ela numa interface entre educação, saúde e linguística.

06 - Práticas curriculares na educação infantil e no ensino fundamental

Prof. Dr. Alexsandro Braga Vieira (UFES)
Prof.ª Ms Sumika Soares de Freitas Hernandez-Piloto (Grupicis/UFES)

Local: CEFD

Vagas: 40

O presente minicurso visa debater as práticas pedagógicas inclusivas em desenvolvimento nas escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental, bem como, as concepções de currículo e inclusão apresentadas na Base Nacional Comum Curricular, em discussão atual no Conselho Nacional de Educação e Câmara dos Deputados. Discutiremos as práticas cotidianas, a fim de contribuir na formação de professores e a ressignificação de suas práticas. Mediante dados de pesquisas de natureza qualitativa, com abordagem colaborativa e de formação, potencializaremos uma escuta sensível no espaço tempo em formação, sinalizando proposições na área de Políticas Públicas voltadas a infância, inclusão, currículo, formação de professores.

07 - Formação de professores e a inclusão escolar de alunos com deficiência

Prof.ª Dr.ª Andressa Mafezoni Caetano (UFES)

Local: Sala SALA do IC4

Vagas: 40

Refletir sobre a formação inicial e continuada de professores e a construção da prática pedagógica inclusiva de alunos público alvo da Educação Especial. Discutir a experiência dos professores a respeito de sua formação para a prática pedagógica inclusiva de alunos com deficiência

08 - Alunos com deficiência e transtornos do desenvolvimento na educação básica: inclusão e escolarização

Prof. Dr. Rogério Drago (UFES)

Local: Salão Rosa

Vagas: 60

Conceitos de deficiência, Conceitos de transtornos do desenvolvimento, Conceitos de inclusão e escolarização, processos educacionais inclusivos evidenciados em momentos distintos da educação brasileira.

09 - O Programa Bolsa Família como Políticas de Assistência: Política Pública de Transferência de Renda

Prof.ª Dr.ª Ana Maria Petronetto Serpa (Emescam)

Local: SALA 32 do IC4

Vagas: 50

O Programa Bolsa Família e o contexto sócio histórico da sua criação e implementação. O acesso à renda como direito de cidadania. O papel dos municípios como entes federados na implementação do Programa. O desenho do programa, suas condicionalidades e o devido acompanhamento, critérios de elegibilidade, benefícios e valores, impactos e efeitos na redução das desigualdades sociais no pais.

10 - Crianças, Adolescente e os atos infracionais: Desafios e possibilidades dos processos educativos

Prof.ª Dr.ª Jacyara Silva de Paiva (Radier)

Local: Anfiteatro do IC4

Vagas: 50

A Doutrina da Proteção Integral da Criança e do Adolescente. A família como lugar de proteção e promoção do desenvolvimento de crianças e adolescentes. Medidas socioeducativas. Direito a educação. Direito a educação social. Pedagogia social e a Pedagogia escolar. O Adolescente em liberdade assistida. Políticas públicas para adolescentes no Brasil. O adolescente autor do ato infracional e o contexto escolar

11 - Desenvolvimento psíquico e elaboração conceitual na educação escolar dos alunos com deficiência intelectual

Prof.ª Dr.ª Anna Maria Lunardi Padilha (Unimep)

Local: Auditório do IC4

Vagas: 60

Considerando o desenvolvimento humano como passagem do biológico ao cultural, priorizamos a elaboração conceitual, própria da educação escolar, pelos alunos com deficiência intelectual, abordando: a) as bases teóricas da Psicologia histórico-cultural acerca do desenvolvimento cultural das pessoas; b) as funções psicológicas superiores e a elaboração conceitual como condição de desenvolvimento; c) a mediação entre os fundamentos da Psicologia Histórico-cultural e a Pedagogia Histórico-crítica e d) as práticas pedagógicas e possibilidades para a educação das pessoas com deficiência intelectual.

12 - A prática avaliativa na educação especial: processos de reflexão com o outro

Prof.ª Dr.ª Marta Alves da Cruz Souza (PMG/UFES)

Local: CEFD

Vagas: 40

Refletir sobre a prática avaliativa e sua relação intrínseca com os processos de ensino-aprendizagem. Compreender sobre a prática avaliativa na educação especial tendo como aporte teórico a abordagem histórico-cultural, principalmente Vigotski. Conhecer o movimento de construção de uma proposta avaliativa em educação especial partindo da reflexão prática de professores que atuam no atendimento educacional especializado e pedagogos de uma rede municipal de ensino da Região Metropolitana da Grande Vitória tendo como meta a elaboração de um documento de avaliação na educação especial para toda a comunidade escolar.

13 - A avaliação do aluno com deficiência intelectual no contexto escolar

Prof.ª Dr.ª Ana Marta Bianchi de Aguiar (Multivix)

Local: CEFD

Vagas: 40

Refletir sobre a prática avaliativa num processo de aprendizagem de todos. Trabalhar que a avaliação vem sendo constituída historicamente como um dispositivo desassociado da prática pedagógica e procura abordar que a avaliação precisa estar em consonância com o processo ensino aprendizagem. Mostra a partir dos dados de tese de doutorado sobre o tema, que no cotidiano das escolas, a prática avaliativa se desenvolve como momento final do processo educativo e não serve de realinhamento das práticas. No que tange a avaliação dos alunos com deficiência reflete sobre as questões do diagnóstico e sobre a necessidade de um olhar para além de um rótulo que impossibilita o trabalho pedagógico para o desenvolvimento global do sujeito. Dialogar com os pressupostos de Vigotski, no que tange a temática. A avaliação precisa servir de orientação pedagógica para garantir o direito de todos aprenderem e para isto o professor precisa ter uma gestão do trabalho pedagógico em uma perspectiva inclusiva. Neste sentido a avaliação passa a contribuir para o acesso e a permanência com qualidade para todos os alunos.

14 - A criança com deficiência intelectual e as funções psicológicas na abordagem histórico-cultural

Prof.ª Dr.ª Fabiana Alvarenga Rangel (IBC/UFES)

Local: CEFD

Vagas: 40

Vigotski e o desenvolvimento psíquico na deficiência intelectual. Adler e os Processos Compensatórios. T. Lipps e a Lei do Dique psíquico. Ajustes entre o plano biológico/natural e o plano cultural. A dialética do Desenvolvimento. Funções Psicológicas Elementares e Funções Psicológicas Superiores.

15 - Documentação Pedagógica na Educação Infantil

Prof.ª Dr.ª Larissy Alves Cotonhoto

Local: CEFD

Vagas: 40

A proposta do minicurso é abordar as principais perspectivas teóricas sobre o jogo na aprendizagem e desenvolvimento. Apresentar e discutir a importância dos jogos para o desenvolvimento cognitivo, social e emocional da criança a partir de uma perspectiva interacionista. Estimular o profissional docente a refletir e compreender o jogo como elemento fundamental do trabalho pedagógico e demonstrar que o emprego de atividades lúdicas pode ajudar no desenvolvimento de várias capacidades, além de auxiliar na exploração e entendimento sobre a realidade, a cultura, as regras e os papéis sociais.

16 - Conhecimentos teórico-metodológicos sobre as altas habilidades/superdotação e os processos escolares

Prof.ª Dr.ª Carly Cruz (GEAHSD/UFES)

Local: Auditório do CT3

Vagas: 50

Panorama da educação de alunos com indícios de Altas Habilidades/Superdotação- AH/SD no mundo e, especificamente, no Brasil. Balizadores curriculares, avaliativos e pedagógicos das práticas na escola. A perspectiva da educação inclusiva , as AH/SD e suas imbricações. Relato de experiência.

17 - Tecnologia Assistiva e Computacional: contribuições para o atendimento educacional especializado e desafios na

Prof. Dr. Wagner Kirmse Caldas (IFES)

Local: Sala IC4

Vagas: 40

Refletir sobre a formação inicial e continuada de professores no que diz respeito aos desafios para a utilização da Tecnologia Assistiva Computacional. Debater sobre os processos formativos e a maneira como estes aliam o conhecimento pedagógico à utilização de recursos computacionais nas SRM.

18 - Políticas Públicas de Inclusão Escolar de pessoas com Deficiência Visual no contexto da Grande Vitória/ES

Prof. Dr. Douglas Christian Ferrari de Melo (PMVV/UFES) / Prof.ª Giselle Lemos Schmidel Kautsky

Local: CEFD

Vagas: 50

Analisa a implementação das políticas públicas de Educação Especial para pessoas com deficiência visual nas redes municipais de quatro cidades da RMGV, considerando o referencial teórico gramsciano de Estado em articulação com os direitos sociais e as políticas públicas. Parte-se do princípio de que as políticas públicas não acontecem da mesma forma em cada município, dadas suas realidades socioeconômicas e histórias, mas de modo geral, por estarem inseridas em um contexto macro, as políticas de um município não se deslocam, em grande medida, das que são efetivadas a nível metropolitano.

19 - A formação de professores de surdos

Prof.ª Dr.ª Lucyenne Matos da Costa Vieira Machado (GES/UFES)

Local: Auditório do CT1

Vagas: 50

Este minicurso visa oferecer ferramentas para discussão e reflexão sobre as políticas e as práticas educacionais para a educação de surdos. Dispõe-se também a problematizar a inclusão escolar e a educação bilíngue como prática política e pedagógica de governamento das diferenças surdas na contemporaneidade. E por fim, a intenciona analisar as práticas pedagógicas (ensino de Língua Portuguesa para surdos como L2, intérprete educacional etc.) bem como as políticas de educação de surdos em nosso tempo a partir de bases teóricas distintas.

20 - Linguagem, Comunicação Alternativa e Processos comunicativos

Prof.ª Dr.ª Vasti Gonçalves de Paula Correia (Doctum/PMV)

Local: Anfiteatro Sala 2

Vagas: 40

Discute a linguagem a partir da noção de enunciado apresentadas por Bakhtin e Vigotski abordando-a sob a dimensão da constituição do sujeito como humano. Problematiza os conceitos de língua, fala, interação verbal, dialogia, enunciação, aprendizagem e desenvolvimento, assumindo-os como elementos fundantes e presentes nas relações comunicativas entre os sujeitos sem fala articulada e seus interlocutores. Reflete sobre o uso da CAA como recurso que potencializa os processos comunicativos, que movimentados pela linguagem, assegura mais autonomia e fluidez do processo comunicacional.

21 - Roda de conversas: medicalização da educação e da sociedade

Prof. Dr. Jair Ronchi Filho (UFES)
Prof.ª Dr.ª Elizabete Bassani (UFES)
Prof.ª Ms. Vilmara Mendes Gonring (UFES)

Local: Miniauditório do PPGE

Vagas: 40

Desenvolver algumas problematizações em torno do tema da medicalização do processo ensino-aprendizagem, apresentando o conceito de medicalização e alguns de seus fundamentos teórico-epistemológicos. Propõe-se ainda a fomentar discussões sobre a patologização da vida e a possiblidade construção de alguns dispositivos que favoreçam a superação da lógica medicalizante presentificada na Educação e na Sociedade.